24 abril 2017

Se Deus existisse, que havíamos querer que Ele nos explicasse?

(para além de como se interpreta em condições as mulheres, está claro...)

23 abril 2017

Post número cinco do período azul

Porque é que a primeira coisa que faço quando entro num carro alugado é colocar as estações de rádio na ordem que estão no meu carro, porque é que mantenho apenas um dos números de telefone das pessoas que deixaram de me interessar, porque é que arrumo os Eça de Queirós com J. Rentes de Carvalho de um lado e Lobo Antunes do outro, porque é que escolho sempre o 6A nos voos curtos, porque é que começo quase sempre o meu jogo com uma abertura Zukertort, porque é que aposto sempre no vinte e três preto?

Post número quatro do período azul

Às vezes demoro-me diante de quadros improváveis, o Picasso que mais me fascina não é Guernica nem é A Noite Estrelada o que mais me fascina de Van Gogh.

Ontem demorei-me durante quase uma hora com aquele Almada Negreiros que retrata o pescador visto de cima, aquele em que ficamos a pensar se no tempo Almada Negreiros já existiriam drones.

22 abril 2017

Post número três do período azul

Era para ser o post número um do período verde e branco mas afinal não foi.

18 abril 2017

Post número dois do período azul

Em vos calhando em caminho, é passar pelo Museu Raínha Sofia, ali para os lados da estação de Atocha, e entrar para dar uma vista de olhos na exposição "Piedad y terror en Picasso - El camino a Guernica", que é coisa para se ver com calma, enquanto reflectimos que afinal não evoluímos grande coisa nisso de sermos gente de paz.

Depois dizei-me se foi coisa de valor, ou quê.