11 maio 2017

Isto é mais ou menos como ponderarmos ir buscar o Fábio Coentrão

Conduzo com perícia e saber o meu potente - porém discreto - veículo alemão, observando os peregrinos a caminho de Fátima, eles e os seus coletes reflectores e os seus paus de eucalipto que os ajudam na caminhada, falando ao telefone para que o caminho não seja muito diferente de todos os outros dias, habituei-me a respeitar essa fé tamanha que os impede de notar a feiura das estradas nacionais ou os camiões que lhes passam rente mas não me consigo abstrair de lhes olhar para os pés, a peça mais crítica para que a caminhada lhes seja leve, entristeço-me com a dor adicional que os peregrinos infligem a si próprios com as bizarras opções de calçado, quase me comovo com o sofrimento extra que aceitam para si só por não terem dedicado tempo à escolha do calçado certo, que os desfocariam das dores nos pés e lhes possibilitariam dedicar-se em plenitude às coisas do Altíssimo.

11 comentários:

  1. Lady Kina11.5.17

    Vejo que optou pela palestra. Ainda bem, de certeza que o seu contributo será precioso para esses jovens a quem a vida ainda não sorriu. No caminho do bem já eles estão, até Fátima, e em breve compreenderão que "o turbilhão de situações de má índole em que estão metidos" dissipar-se-á qual milagre, para isso bastando uns sapatos novos.

    ResponderEliminar
  2. Lady Kina11.5.17

    E é com espanto que até eu, exultante, me descubro rejuvenescida para a vida, ante a revelação: todos os meus afrontamentos existenciais não eram senão calos e joanetes!

    ResponderEliminar
  3. Lady Kina11.5.17

    Mas agora falando a sério: fosse eu peregrina, não abdicaria por esse motivo dos meus padrões de elegância, não sou capaz de sair de casa sem pelo menos três pares de saltos agulha, e de certeza que não serei a única mulher a merecer de si e para si a atenção a este tipo de necessidades. Estradas nacionais é que não, salvo-seja, metia ali pela A1 e era um tirinho!

    https://abrilcapricho.files.wordpress.com/2015/03/1775336ef8c32a30177a781432143151.gif?w=500&h=235

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipoco, na palestra, recomendará o uso de sapatos Church para a santa caminhada.

      (Só pelo facto de, tal como o nome indica, se tratar de uma marca religiosa...)

      Eliminar
    2. Lady Kina11.5.17

      ahahahahahahahahahahahahahahah

      (já me tinha ocorrido isso, de ele andar masé a vender sapatilhas!)

      Eliminar
  4. Anónimo11.5.17

    Pipoco vai começar a fazer publicidade?!

    ResponderEliminar
  5. Cláudia Filipa11.5.17

    Há não muito tempo, eu, não num potente e discreto veículo alemão, mas num muito pouco discreto transporte público, observando a criança que estava à minha frente (há transportes públicos que têm uma espécie de sala onde os passageiros ficam frente a frente, Pipoco) estava a ficar mesmo condoída, mas mesmo, a roupa da criança tinha sinais de ter-se rasgado e sido cosida várias vezes e, em alguns sítios, pequenos buracos já não aguentavam mais cosidelas, mas, depois Pipoco, um telemóvel tocou, era o dele, ainda não tinha dito o sexo da criança, mas era um rapaz, quando atendeu, vi um daqueles telemóveis que no mundo dos telemóveis é o equivalente a um potente carro alemão, será provavelmente cliché, uma total insensibilidade da minha parte e desconhecimento das coisas da vida, mas foi remédio santo para aquele aperto no peito que tinha sentido até aí, e agora, pura especulação, até me ponho aqui a imaginar que os familiares do miúdo não teriam meios para providenciar-lhe um calçado que lhe proporcionasse as melhores condições possíveis de conforto para o caso de uma caminhada longa e dura, mais uma vez estarei a ser extremamente insensível, afinal, estou a ser igual ao Pipoco, até parece que também estou a dizer qualquer coisa como: "Isto é mais ou menos como ponderarmos ir buscar o Fábio Coentrão".
    Bem, e agora que já lhe contei o episódio que essa situação do calçado me fez lembrar, não vou escrever mais nada, mas vou destacar: "falando ao telefone para que o caminho não seja muito diferente de todos os outros dias"...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo11.5.17

      o puto tinha gamado o telemóvel.

      Eliminar
    2. Cláudia Filipa12.5.17

      (pensei que alguém diria isso e agora fez-me rir)

      Eliminar
  6. Não sei quem é o Coentrão, espero que não menos que arcebispo, mas sei o que é um telemóvel roubado.

    À entrada do meu bólide francês com quase 90cv, fui abordado no estacionamento de um centro comercial por um sr bem vestido e trato agradável oferecendo-se para me *vender* um telemóvel daqueles que só alguém sem amor ao dinheiro compra, pelo valor que eu considerasse justo. Temendo tratar-se de um agente provocador da PJ lá me desculpei e, perante o trejeito de contrariedade do sr, segui caminho. Mas reconheço que podia ser apenas de um super Dragão a tentar sustentar o vício, ou o Bruno de Carvalho disfarçado de gajo simpático, ou o Vieira a abrir caminho para outra comissão.
    Digo eu, que durante tantos anos usei roupa confecionada pelos meus queridos Pais. Enfim, não havia telemóveis. E crescendo bastava adicionar umas rodelas de tecido simétricas a cada perna das calças.

    Um peregrino deve ter sempre em atenção o tamanho do seu pau para ter muito onde se agarrar.
    Meteram-lhes na cabeça que o flagelo, a contrição e o sacrifício são as pedras da calçada da virtude que os levará a um paraíso que desconhecem.
    As pessoas são incompreensíveis.


    (escrito ao abrigo de uma ortografia qualquer)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lady Kina12.5.17

      agora lembrei-me daquela pérola do cancioneiro popular português:

      "SE TENS PAU PEGA LÁ NO PAU, SE NÃO TENS PEGA LÁ NO MEU"

      Eliminar