28 junho 2017

Salvador Sobral, chega-te aqui ao Tio Pipoco, que te quero dar uma palavra

Meu bom rapaz, a gratidão de vermos os países a anunciarem uns a seguir aos outros "Portugal twelve points", quando em tempos antigos "twelve points" era o que tínhamos quando todos os países já tinham votado, e isso era nos anos bons, a gratidão, dizia eu, é coisa com um curto prazo de validade, como tu, meu bom rapaz, depressa anteviste quando ganhaste lá o concurso. O deslumbramento é um pecado dos grandes, e nós, que não desgostamos do teu ar cuidadosamente descuidado, não apreciamos muito que aqueles de quem gostamos se comportem como rapazolas, nota bem, qualquer um de nós, menos tu, poderia notar que fizesses o que fizesses serias aplaudido, alguns de nós, os menos bafejados com esmerada educação, poderiam mesmo ser inconvenientes a ponto de sugerir que, se desses um peido serias, ainda assim, aplaudido. Agora tu, bem rapaz, em verdade te digo, que não tens ainda estrada para seres inconveniente, não tens ainda arcaboiço para dizeres coisas tontas e ninguém notar.

 Por isso, meu bom rapaz, não tenhas trejeitos parolos tão cedo, não menosprezes os que serão sempre o teu sustento, não aborreças as pessoas com saídas tontas.

E agora vai em paz e venha de lá esse jazz e essa maneira tua de estar em palco que tinhas antes de ontem.

(e quer-me parecer que deste um nó cego à produção e meteste ali a Joni Mitchell sem ninguém saber...)

30 comentários:

  1. Ainda acaba apedrejado pela brigada das rosas.
    O navel gazer está em pleno período de Graça. Não importa aquela atitude a oscilar entre o fleumático e o tonto. A imbecilidade da euro visão transformou o homem em (mais um) herói nacional. Certamente irá receber uma comenda e um abraço do Avô.

    ResponderEliminar
  2. Cláudia Filipa28.6.17

    Sabe, acho que não é deslumbramento, acho até que o que ele procura fazer é precisamente uma critica aos deslumbramentos que considerará, sem bases? Por poucos ligarem àquele tipo de música antes e a ele próprio antes e agora depois da vitória já é o maior e pode fazer qualquer coisa que já está o aplauso garantido, mas depois, lá está, acho que há precisamente essa fronteira entre a crítica no sítio certo e à hora certa, que faz sentido e lhe dá força e, precisamente, a inconveniência que só contribui para matar qualquer razão que possa existir na crítica e que, num momento, pode estragar tudo transformando-a nisso mesmo Pipoco, numa parolice confrangedora, também estava a ver e quando ouvi aquilo até me encolhi por dentro e pensei, "Ui! Tão, mas tão desnecessário que isto foi agora", ainda por cima naquele contexto e com as pessoas mesmo com ele, a viver o momento, a cantar junto, até antes, quando aconteceu aquilo das suas letras pequeninas e que foi tão bom e as pessoas ali em silencio a ouvir. Ontem, foi mesmo a primeira vez que tive vontade de criticar o Salvador, completamente desnecessário aquilo.
    Já a irmã, impecável, gosto tanto de quem sabe estar e também não deixa de dizer o que pensa, mas fá-lo na altura certa.

    ResponderEliminar
  3. Juízo, ele precisa de juízo. :)

    ResponderEliminar
  4. O comentário até pode ter sido inoportuno, mas o grande erro do Salvador não foi esse. Foi ter participado num evento daqueles que é a antítese da sua personalidade e da forma como vê a música. Terá sido em erro involuntário, naturalmente. Nem ele poderia dizer que não dadas as circunstâncias, nem devia saber bem no que se estava a meter. Mas ainda por cima foi o último e viu que aquela audiência aplaude com o mesmo entusiasmo o Agir e a Ana Moura, os DAMA e o Jorge Palma. Não acho que ele tenha que se tornar mais humilde, como já vi por aí escrito, mas terá que começar a seleccionar mais os locais onde toca e as entrevistas que dá. Para que volte a tocar Joni Mitchell e o público no mínimo conheça a canção.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo28.6.17

    A Su escreveu algo su pimpa :) e caro Pipoco o rapazola não está preocupado com o seu sustento, o rapaz era feliz nas esquinas de Barcelona, não fosse a sua saúde valer um pum nem um cheirinho dele teríamos. E o D.Pipoco que é sábio não viu que aquilo do peido era estar em sintonia? tss tss...

    ResponderEliminar
  6. Anónimo28.6.17

    Isso, Tio Pipoco. Veja se mete algum juízo na cabeça do moço.
    Certo é que o público, jornalistas e apresentadores, tiram o rapaz do sério com tanto assédio e salamaleque, mas essa parvoíce foi demais.
    Vai ver que as más línguas já o vão alcunhar de "Peidar pelos Dois"...

    Katryna
    (a das pombinhas, para o caso de ter por cá mais alguma)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lady Kina29.6.17

      ahahahahahahahahahahahahahahahahahah

      caramba, alguém devia aproveitar esta ideia da Pombinha-Furacão: "Peidar pelos Dois" !!!!!!!!!!!!!


      ahahahahahahahahahahaaahahaahah

      Eliminar
    2. Anónimo2.7.17

      Lady Kina, aqui ninguém aproveitou, mas para quem não quer é que sobra. Assim sendo.-- ALGUÉM APROVEITOU

      Oiçam...oiçam... O vento soprou e ele não voltou...

      Katryna - Cognome: A de Bom Coração.

      Eliminar
  7. Lady Kina28.6.17

    Nem sei o que é mais cómico: se o rapazinho "erudito" que vai para os "festivais" e depois se queixa do "povo";
    se o "povo" que endeusa o rapazinho nos "festivais" e depois se ofende com "um peido"...


    aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhh

    façam-me um favor: ide à merda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então minha doce e pacífica Lady Kina? Aos génios e aos tolos dá-se sempre um desconto. O rapazinho nem teve a elegância de dizer que dava um flato, que eructava. Mas bastou abrir a boca. Interrogo-me se não será parente do Senhor Presidente Cavaco. Não pela falta de elegância, obviamente. Teria com ele a aprender que, vendo que vai sair excremento verbal, basta manter a boca aberta, fazer de conta que está a bocejar, voltar a fechar a boca. Com sorte apanha uma mosca.

      Eliminar
    2. Lady Kina29.6.17

      Não sei o que seria de mim sem si, desvelado, ainda que ainda não desnudo, esposo, por certo andaria por alguma valeta esconsa, por todos ostracizada, e mais algum, ninguém para me passar a mão pelos pêlos (um dia destes converte-me àquilo do AO, afinal foi para isso que alinhei no kit atrevido), nem uma pessoa de bem para acolher-me nesse own personal paradise, ninguém a espiar-me a elegância, ninguém a querer tirar selfies comigo, enfim... um desperdício de vida. Felizmente o meu querido preocupa-se mesmo comigo, não sei mais por onde demonstrar gratidão, reformulo, somente:

      onde agora se lê "ide à merda!" devia antes ter-se lido "ide à feze!"

      Eliminar
    3. Anónimo29.6.17

      ..."à feze"???????? ahahahahahahahahah

      Eliminar
    4. Ah, foi então uma piada religiosa.

      Quando casamos a prima e esgotamos os pretextos do Pipoco?
      Já se jantava.

      Eliminar
  8. Pois... Ao rapazito ainda falta para ser e se comportar como homem. Nada desculpa a inconveniência, alguém lhe devia dizer que, nem todos têm paciência para mimalhos mal educados.

    Boa noite Sô Pipoco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo1.7.17


      Alguém de muita humanidade escreveu no seu blog:
      (A vida é mais que um code dress ,digo eu que sou costureira)

      Alguém que começa e acaba o dia com uma máquina ligada ao coração. Com data marcada para uma operação que decidirá a vida inteira e onde, mesmo que tudo corra bem, não deixará de prevalecer a incerteza de tudo o que virá depois. Presumo que lhe reste uma de duas atitudes: ou se entrega à depressão ou brinca com tudo isto.

      O Salvador parece ter escolhido a segunda opção. Estranha ironia que o reconhecimento do público, a celebridade e a fama sejam o destino desejado de quase todos os artistas, ou de todos nós. E ei-lo chegado tão jovem a esse lugar raras vezes atingido com a lucidez implacável que não deixa de assinalar o metrónomo que lhe auxilia o bater do coração.

      Que estranho e mágico lugar deve ser a vida do Salvador Sobral. Que estranho lugar será esse, onde os dias mais felizes da tua vida podem ser também os piores dias da tua vida. Antes de brincar com a sua frágil humanidade cantava as palavras da Joni Mitchell, que estás no meu sangue como vinho sagrado, tão amargo, tão doce.

      Hão-de existir sempre aqueles que estão prontos a ceifar os artistas num momento de vulnerabilidade. Não percebem que os artistas são aqueles que oferecem sempre o que têm de mais frágil, aquilo que todos os outros, todos nós, escondemos do mundo. Venham de lá as hordas indignadas, venham de lá com os vossos escândalos. São a espuma de coisa nenhuma.

      O mar é lá longe.

      Eliminar
    2. Anónimo1.7.17

      E é sim code dress e não dress code, porque esta sociedade está invertida de valores.

      Eliminar
    3. OK
      Aceitemos então, de todos os outros - e olhe que são muitos, mas mesmo muitos - a má educação, e o desrespeito, da mesma forma que ao Sr.Sobral.
      Não?
      porquê?
      Não são artistas?
      Olhe que são, são-no muitas vezes num palco, onde a plateia está vazia de gente, de caridade, quanto mais de benevolência e, mesmo assim, comportam-se com um respeito a toda a prova.

      Realmente os valores andam muito confusos.

      Respeitosos cumprimentos


      Eliminar
  9. Tio Pipoco na sua imensa bondade. Chamou o rapaz para lhe dar uma palavra quando podia ter chamado o mesmo rapaz para lhe dar um par de tabefes ou, quiçá depois de uma boa feijoada, um par de peidos nos queixos.
    O rapaz tem um sentido de humor muito sui generis. Mas, já diz o povo, mais vale cair em graça que ser engraçado. Ele cair em graça até caiu, mas parece-me que o estado da dita se finou ontem.
    E, sim, o nó cego foi dado. Confere.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo29.6.17

    Já conhecem o Peido Sem Filtros, soberbo poema do autocantor Carlos Mendes? Já? Então aqui vai à mesma:

    O peido do Sobral
    foi magistral
    Mesmo estando presente
    O Sr. Presidente
    Não evitou
    Que toda a gente
    Gritasse
    "Viva o peido do Sobral"
    A um peido embora fraco
    Mas magistral
    Único
    Como o Sobral
    Com mais peido
    ou menos peido
    Tudo correu pelo melhor
    Não fosse aquele peidinho
    Que largou o Salvador
    Naquele momento exacto

    Em que ficou tudo
    Estupefacto
    Com o peido Magistral
    Como só dá o Sobral
    Naquele palco solidário
    De lindas apresentadoras
    Quais senhoras doutoras
    Diziam umas para as outras
    "Este peido do Sobral
    Foi de facto genial "
    Para acabar esta história
    Estou de acordo com o
    Sobral
    Caguem praí à vontade
    E que
    Viva Portugal

    Katryna

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo29.6.17

      * Ai a minha pobre cabecinha...o que quis dizer foi cantautor, mas sei que todos me entendem por aqui, verdade?...

      Katryninha, uma vossa mascote, sempre à dispoção

      Eliminar
  11. Há muito que Frei Tomás já não insiste para que faças como ele diz e não como ele faz.

    Hoje em dia, Frei Tomás está presente na maior parte das redes sociais e insiste para que faças como ele diz que os outros acham que é bom fazer e não como ele faria se os outros não achassem tanto sobre tudo o que há para fazer.

    ResponderEliminar
  12. Se tem dito "pum" ou um snob "pass wind" ninguém teria dado por ela. E depois falava-se de quê? Com quem se indignariam as massas?

    ResponderEliminar
  13. Anónimo29.6.17

    Tanta coisa má que aconteceu e ainda ninguém se responsabilizou por isso. O peido do Salvador que nem sequer era real (pena minha) será o bode expiatório?

    ResponderEliminar
  14. Ando cá confusa com algo que li num blog, altamente conceituado, aqui da sua praça, Don Pipoco. Esclareça-me, por favor; se quiser e não temer fazê-lo, obviamente
    Poder-se-à chamar adolescente a um jovem adulto de 27 anos de idade?
    Exactamente! Refiro-me a esse "gracejo sem graça", esse "disparate adolescente" de Salvador Sobral.
    Aguardo resposta. Veja lá se mostra ser um português de barba rija e não um desses bloggers, subservientes, que nunca se atrevem a contradizer o autor de uma boa prosa.
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não deixa de ser curioso o facto de a Maria Antonieta ainda não se ter apercebido de que para se emitirem "disparates adolescentes" ou "gracejos sem graça" não há idade.

      Eliminar
    2. Curiosamente também acho curioso que a Susana Rodrigues ainda não se tenha apercebido da diferença entre, gracejar sem graça e disparatar com a irreverência de um adolescente, mesmo tratando-se de um adulto, se se estiver num almoço informal de amigos, a escrever num blog, etc, ou, coisa muito diferente, numa ocasião em que se comparece para cantar e não para gracejar sem graça.

      Eliminar
  15. Cláudia Filipa30.6.17

    Quando a opinião vira peido colectivo muita malcheiroso (ou como dizer muitas vezes "peido" num comentário):

    - Quando começou a pensar-se que, considerar uma atitude/comportamento inconveniente, significa crucificar alguém, mesmo naqueles casos em que no texto sobre o qual se está a opinar esteja lá salvaguardada a evidência contrária;

    - Quando os que têm uma opinião diferente sentem-se visados, postos em causa: "aquilo é comigo, é comigo, eu também podia chegar ali e pumbas, um peido para aquele povaréu, aquele povaréu que não tem ouvidos para tal iguaria, pumbas, um peido para eles, e quem é que se atreve a achar o contrário, hem? Quem? Agarrem-me que eu vou-me a eles, ora tomem! Tomem!";

    -Quando opiniões contrárias são sistematicamente encaradas na óptica de um Benfica/Porto ou Porto/Benfica, por exemplo;

    Espero não ter ofendido ninguém, é que à minha maneira também sou uma artista, quero ter direito a expressar-me livremente e também sei que para o Salvador a minha opinião valerá um peido e como diria o sábio Pipoco, isto é só a gente a falar e agora digo eu, e que o Salvador continue a cantar e a tocar (nos) e se puder guardar o peido para a casa de banho, pelo menos eu, agradeço.

    Olha! E agora até já está ali um post com um céu muito lindo e tudo.

    ResponderEliminar
  16. Anónimo6.7.17

    Por acaso, acho que a versao dele foi mais ao genero da do James Blake...

    ResponderEliminar